Eu não sou um objeto

Você não pode simplesmente agir como se estivesse em uma loja de departamentos, olhando os cabides nas araras, escolhe uma peça: hum, muito branca, acho que não. Pega outro cabide: muito gorda, não gostei. Passa para o próximo: magra demais, só tem osso.

Vai para a sessão de loiras: o corpo é ótimo, mas o rosto… e faz uma careta. Coloca o cabide de volta no lugar. Continua andando pela loja, à esquerda avista a sessão de morenas, começa a remexer nos cabides: muito alta, muito baixa, hum… muito machona, cabelo esquisito, cabelo curto demais. Opa, essa eu gostei, corpo bonito, rosto bonito, vou levar para experimentar.

Mas a loja é grande, tem muitas opções e você vai andando ainda indeciso, olha para todas as sessões buscando algo que te chame a atenção. Pega mais algumas peças: uma ruiva gostosa, uma loira parecidíssima com aquela atriz gostosa, e mais uma morena para o caso da primeira não servir.

Então vai para o provador, experimenta uma por uma, a loira até que serviu, mas fala demais. A ruiva ficou ótima, mas é muito grudenta, posso levar pra deixar no fundo do armário e usar de vez em quando. A morena você gostou, o encaixe foi bom, ela não enche muito o saco e ficou feliz de você ter tirado ela daquele cabide. Pronto, escolhas feitas você vai para o caixa, paga a mercadoria e sorri satisfeito.

eu não sou um objeto

***

Eu quero te dizer que eu não sou um objeto.

Eu sou um ser humano.

Eu tenho sentimentos, eu tenho uma personalidade e uma alma. Eu não quero ser julgada pela minha aparência, você não pode olhar pra mim superficialmente e me avaliar como a uma peça de roupa, se eu vou te servir ou não.

Você não tem esse direito.

Você não pode me comparar com outras mulheres, dizendo que são melhores ou piores do que eu. Você não pode me generalizar porque eu sou única, e nenhuma mulher é igual à outra.

Da mesma forma eu não vou te julgar, eu não vou te generalizar e nem te tratar como uma mercadoria. Mas eu também quero que você me trate assim.

Me dê respeito e eu te darei respeito de volta, me trate como um ser humano e eu te tratarei da mesma forma.

Mas por favor, pare de agir assim, eu não sou um objeto.

Assinado: a branca demais, a gorda demais, a magra demais, a esquisita demais, e todas aquelas que você colocou o cabide de volta na arara.

Raquel

Amo poesia. Amo o cheiro de chuva no fim de tarde e as flores dos ipês pela rua, colorindo a calçada. Gosto de sorrisos sinceros e mais ainda, pessoas sinceras.