Vale a pena correr em bola dividida?

Olááá Bonitonas e Bonitões! Como já dizia o meu amadíssimo Zeca Baleiro na música Bola Dividida “Pois se eu ganho a moça eu tenho o meu castigo, se ela faz com ele vai fazer comigo”… Apesar de cada caso ter suas peculiaridades, se um homem ou uma mulher que tem um compromisso com outra pessoa, está ficando com você ele(a) não é exatamente o que podemos chamar de confiável, não é mesmo? Ou ainda, se você está com alguém, mesmo que apenas ficando, e precisa ficar jogando indiretas, provocações ou se autoafirmando o tempo todo é porque falta um pouquinho de autoconfiança e principalmente falta confiança no seu parceiro(a). 52871-tri-acirc-ngulo-amoroso-de-the-vampire-620x0-1

Concorda que se você precisa entrar em uma disputa para ficar com o mocinho ou a mocinha que você quer tem alguma coisa errada na história? Alguma história mal resolvida, mal acabada… Ficar jogando indiretas ou provocações em redes sociais, odiar alguém que as vezes você nem conhece direito e em alguns casos extremos, até brigar com outra pessoa por alguém é deprimente (eu sei porque já aconteceu comigo). Isso mostra claramente sua falta de autoestima e amor próprio e a situação mais recorrente nesses casos é o “Troféu” cansar de tudo isso e ir buscar uma terceira pessoa, e prevendo a superficialidade dos troféus de hoje em dia, até quartas ou quintas pessoas. rsNão-preciso-de-indiretas-imagens-para-facebook

Mas calma, antes de esbofetear a cara do seu love e voltar para casa chorando, bebendo e ouvindo “I’m Not The Only One” do Sam Smith, converse. Se a pessoa gosta de estar com você, considera importante a sua companhia e te escolheu não há com o que se preocupar, converse sinceramente com seu companheiro (a) e esclareça a situação, porque de nada adianta entrar na pilha, e o melhor jeito de saber o que realmente está acontecendo é perguntando, conversando e esclarecendo tim tim por tim tim.not-the-only-one-1

No caso específico das mulheres, como são colocadas desde o início da adolescência como inimigas naturais no desafiador universo dos meninos, parece que a disputa fica mais acirrada, e apesar da minha fala parecer sexista, eu gostaria de deixar claro que isso é uma realidade triste que vem como consequência de uma sociedade e de uma mídia que enfiam nas nossas cabeças que somos rivais, que a coleguinha vai roubar seu paquera, que você deve ser a mais bonita para os meninos gostarem de você e fazer inveja nas coleguinhas. SIM, crescemos ouvindo isso. Durante a infância por exemplo é muito comum considerar que sua coleguinha tem inveja de você mesmo que ela não ligue a mínima para sua bolsa nova da Barbie, muitas vezes ela pode preferir o Batman, a Mulher Maravilha, ou os Ursinhos Carinhosos. Duvido que ninguém nunca teve uma tia, irmã, prima ou até a mãe que disse: “Você é tão linda, suas amiguinhas devem morrer de inveja de você”, enquanto os meninos ouvem coisas do tipo: “Quantas namoradas você tem”? GENTE, PAREM, SÓ PAREM POR FAVOR! Ninguém tem que ser melhor que ninguém, seja apenas você mesmo, sem se comparar, sem querer vencer disputas que não existem.

girl-fight

Vamos aprender o seguinte agora:

  • Apesar de existirem pessoas que fazem questão de provocar, irritar, chamar para a briga, existem outras que simplesmente não estão nem aí para essas coisas.Seja uma delas. 😉
  • Mulheres não são suas inimigas naturais, e principalmente, nem toda mulher que chega em um ambiente está de olho no seu namorado, na grande maioria das vezes ele é tudo de bom, lindo e irresistível só para você rs. (vale para os meninos porradeiros que acham que todos estão olhando para as mulheres deles também)
  • Vamos ser amigas, nos unir, a causa feminina se enfraquece a cada vez que você diz “aquela piranha”, “vaca”, “puta”, entre outros adjetivos usados para “elogiar” mulheres que você ACHA que são suas rivais. Temos ainda tantos direitos para reivindicar para vocês viverem com esse papinho de “ela quer pegar meu homi”. E você pode acabar perdendo a oportunidade de conhecer pessoas incríveis.Post_2_gossipaunty
  • Conversar e resolver os problemas é muito mais interessante que encher sua timeline de publicações da Diva Depressão ou Olha só Kiridinha (apesar de me divertir horrores com os posts delas). Tanto com quem você pensa que é seu rival quanto com quem você está se relacionando.
  • Respeite-se. Ame-se. Se a conversa não adiantou muito e você perceber que está entrando numa fria não fique enrolando para ver aonde vai dar, caia fora. Pode ser difícil no começo, mas é muito melhor que entrar numa situação desgastante.
  • Não entre em bola dividida, lembre-se, se o cara não respeita a pessoa que está com ele o que te faz pensar que ele vai respeitar você?

Bom.. eu sei que nem todas as pessoas se comportam assim, e que graças a Deus cada vez mais mulheres estão entendendo que nós não somos inimigas, mas ainda existe muito o que trabalhar.
Espero que tenham gostado das dicas, e que se forem viver um amor que seja um de verdade, e só seu, porque não tem nada que dê mais preguiça que viver jogando ponto para as outras pessoas, principalmente porque nesses casos, o motivo nem vale a briga… 😉

Lívia Monteiro

Lívia Monteiro é publicitária, produtora de eventos, especialista em gestão cultural e em projetos. Representante Oficial do Fashion Revolution em BH. CoFounder e CMO do Cidadela. Fascinada por moda, cultura, cinema e literatura, vive com a cabeça na lua e precisa lembrar de manter os pés no chão...