A Revolução da Moda está apenas começando

Em um mercado em que a imagem é o foco, o conteúdo parece ter um papel secundário. Porém, o universo fashion vai muito além do que conhecemos. Moda é identidade, expressão de emoções, carrega em seu contexto toda uma ideologia, história, a maneira como queremos nos apresentar e comunicar com o mundo. Mas até chegar ao nosso alcance, por quantos processos essa roupa passou? Por quantas mãos e em que condições?

Em 2015 conheci um movimento bem interessante chamado Fashion Revolution, e resolvi abraçar a causa e me voluntariar, atualmente sou Representante Local na cidade de Belo Horizonte. Entre os objetivos do projeto está aumentar a conscientização sobre os impactos dos processos de produção, e disseminar a ideia de consumir a moda de forma sustentável.

A campanha surgiu após o desabamento do Edifício Rana Plaza em Bangladesh em 2013, local que abrigava diversas confecções de roupas, e não proporcionavam condições dignas de trabalho para os trabalhadores. A tragédia, que ocasionou muitas mortes, comoveu o mundo e levou as pessoas a refletirem sobre a importância de saber quem fez e como foram feitas as roupas que consomem.

Todo processo de produção do tecido, confecção das peças até a venda direta de cada uma delas, envolve uma cadeia de trabalho desconhecida pela maior parte da população e é necessário que esse novo conceito de consumo com qualidade, consciência e valorização do ser humano seja mostrado ao mundo.

Atualmente a campanha acontece em mais de 90 países e convida as pessoas a postarem fotos com suas roupas pelo avesso e com as etiquetas a mostra acompanhadas de uma hashtag com o seguinte questionamento #whomademyclothes (#quemfezminhasroupas). Apesar de ocorrer com maior intensidade no mês de abril, o Fashion Revolution realiza ações durante todo o ano para valorizar a moda ética e sustentável, incentivar o consumo consciente e lutar contra os padrões de beleza e as péssimas condições de trabalho encontradas nesse mercado.

Uma das forças que me movem para trabalhar nessa “revolução da moda” é exatamente a paixão por levar para as pessoas uma nova concepção sobre a moda, incentivá-las a refletir sobre os impactos que simples ações podem gerar e que através delas é possível ser e ver uma mudança real no mundo.

 

 

Lívia Monteiro

Lívia Monteiro é publicitária, produtora de eventos, especialista em gestão cultural e em projetos. Representante Oficial do Fashion Revolution em BH. CoFounder e CMO do Cidadela. Fascinada por moda, cultura, cinema e literatura, vive com a cabeça na lua e precisa lembrar de manter os pés no chão...